Califórnia

De DigaaiWiki
Ir para: navegação, pesquisa

Tabela de conteúdo

Introdução

Quanto somos e o que fazemos

Segundo o Censo americano de 2000, existiam na Califórnia cerca de 22.931 brasileiros pondo este estado como o estado com a terceira maior concentração de brasilerios nos Estados Unidos. Ainda segundo o Censo de 2000, 13.000 brasileiros viviam na região da grande Los Angeles e 9.000 na região de São Francisco. As estimativas do Ministério da
Concentração da População Brasileira por Área Censitária (Census Tracts) - Califórnia Fonte: 2000 U.S. Census.
Concentração da População Brasileira por Área Censitária (Census Tracts) - Los Angeles Fonte: 2000 U.S. Census.
Concentração da População Brasileira por Área Censitária (Census Tracts) - São Francisco Fonte: 2000 U.S. Census.
Relacões Exteriores do Brasil (MRE), registraram em 2010 a presença de 123.000 brasileiros no estado, concentrados nas regiões metropolitanas de Los Angeles (75.000) e São Francisco (48.000)[1][[1]] [[2]] [[3]].
Distribuição da População Brasileira por Condado - Califórnia. Fonte: 2000 U.S. Census.
Os Condados de Los Angeles (32%), San Diego (30%), e Orange (8%), são os Condados com o maior número de brasileiros residentes, seguidos pelos Condadods de São Francisco, Alameda, San Mateo e Santa Clara cada um com 6 por cento da população brasileira.

A população brasileira do estado é formada na sua maioria por mulheres (56%), uma representação femenina maior do que esta da população brasileira no país e na região de São Francisco (54%), mas menor do que esta da região de Los Angeles (58%). A idade média ainda segundo o Censo de 2000 era de 34 anos de idade, com os coortes entre 20 e 34 anos e 35 a 50 anos cada um contando com um pouco mais de um terço da população brasileria do estado. Um pouco mais da metade dos residentes brasileiros do estado são casados (51%) proporção esta igual a de Los Angeles e maior do que esta da região de San Francisco (49%). No que diz respeito anaturalização, os brasileiros da Califórnia tem uma taxa bastante maior (30%) do que esta da média brasileira para o país (19%). Nas regiões da grande Los Angeles e São Francisco, a taxa de naturalização é bem masi elevada para a primeria (36%) e igual a desta do estado na segunda.

A participação na força de trabalho para os brasileiros maiores de 16 anos residentes no estado era, em 2000, de 63 por cento, uma taxa um pouco maior do que esta da população brasileira a nível nacional (62%) mas bem menor do esta da região de San Francisco (67%) e maior do que esta da regão de Los Angeles (61%).

As ocupações mais comuns entre os brasileiros da Califórnia são as ocupações manageriais e professionais [2](35%) seguida das ocupações técnicas, vendas e de apoio administrativo[3] (21%), e por ocupações relacionadas aos serviços[4] (21%). Tanto em Los Angeles quanto em São Francisco, as ocupações manageriais e professionais [5] são dominantes com Los Angeles apresentando o maior grau de incidência (38%) com São Francsico ficando abaixo da média do estado (31%). Em Los Angeles, as ocupações manageriais são seguidas por ocupações técnicas, vendas e de apoio administrativo[6] (24%); ocupações ligadas aos serviços[7] (15%) e as ocupações de construção, extração e transporte[8](7%). Em São Francisco, as ocupações manageriais são seguidas por estas voltadas aos serviços[9](29%); ocupações técnicas, vendas e de apoio administrativo[10] (18%); e as ocupações de construção, extração e transporte[11](13%).

Os brasileiros residentes na Califórnia tem uma taxa de emprego autônomo (self-employed) de 15 por cento, uma taxa maior do que a taxa média americana de 13 por cento. Esta taxa é maior do que esta dos brasileiros em Los Angeles (12%) e menor do que esta da dos brasileiros da região de São Francisco (19%).

Comparando as duas regiões, nota-se que há uma relação entre a maior proporção de brasileiros na grande Los Angeles em ocupação manageriais e técnicas e menor proporção nas ocupações de serviços e construção além de uma taxa menor de emprego autônomo. Na região de São Francisco, dá-se o inverso. As duas regiões diferem ainda quanto o tipo de empresa para a qual trabalham. Enquanto na região de Los Angeles, 67 por cento dos brasileiros trabalham para empresas privadas, na região metropolitana de São Francisco somente 63 por cento o fazem.

Por fim, os brasileiros da Califórnia tem um grau de educação formal maior do que este da população brasileira residente no país. Na Califórnia, quase 1/3 dos brasileiros tem o bacharelato comparado a 1/5 para brasileira como um todo. Em São Francisco, este número alcança 49 por cento enquanto em Los Angeles ele é de apenas 41 por cento. No que diz respeito a níveis de educação secundária, os residentes da Califórnia tem uma proporção menor da sua população (17%) com escola secundária completa, enquanto 26 por cento da população brasileira do país alcança este nível. No entanto, no que diz respeito a níveis de educação baixos como nível médio incompleto ou menores, incluindo estes com menos do que oitava classe, os brasileiros da Califórnia tem somente 10 por cento da sua população com tais níveis enquanto para os brasileiros como um todo esta proporção cresce para 20 por cento.


Contribuição Econômica

Os brasileiros contribuem para a economia do estado da Califórnia não somente pelo seu trabalho mas também enquanto conumidores e empresários. Eles gastam cerca de $417 milhões por ano contrinuindo com mais de $518 milhões para o produto regional além de mais de $125 milhões em impostos estaduais e federais. Estas contribuições representam cerca de 5.805 empregos indiretos para a economia do estado. Enquanto donos de empresas, eles registraram receitas de quase $35 milhões contribuindo ainda cerca de $31 milhões para o produto regional e $2.8 milhões para os cofres estaduais e federais. Eles, coletivamente, empregam 349 pessoas e criam cerca de 338 empregos adicionais de forma indireta.

Referências

  1. Ministério das Relações Exteriores do Brasil (MRE), "Brasileiros no Mundo - Estimativas - 2011.
  2. managerial and professional occupations
  3. technical, sales and administrative support occupations
  4. service occupations
  5. managerial and professional occupations
  6. technical, sales and administrative support occupations
  7. service occupations
  8. construction, extraction and transportation
  9. services
  10. technical, sales and administrative support occupations
  11. construction, extraction and transportation

Referências Bibliográficas

DigaaiDATAHUB & DigaaiDATAVERSE

O estudo dos processos migratórios internacionais encontra bastante barreiras metodológicas. Além do movimento de ida e vinda que é de natureza fluída, há o problema da imigração não autorizada que toma formas diversas tais como a entrada clandestina, o "overstaying," e a "invisibilidade."

O Censo Brasileiro[4] recorda os fluxos internacionais baseado na identificação de onde os indivíduos estavam cinco anos antes da chegada ao Brasil. Ele registra também, o lugar de residência de todos os brasileiros residentes no país alem das características sócio-economicas destes quando da execução do censo.

O registro de brasileiros no exterior é feito com base num levantamento do Ministério das Relações Exteriores do Brasil[5] junto aos consulados e embaixadas. Este levantamento teve inicio em 1996 e é atualizado frequentemente. Este levantamentos não são no entanto estatísticas públicas mas sim um levantamento administrativo interno desta repartições.

Por outro lado, os registros oficiais dos países de destino são precários pelas razões citadas acima. Nos Estados Unidos, o Departament of Homeland Security,[6] publica informações sobre os residentes permanentes, naturalizações, e admissões de imigrantes. Estes dados são, no entanto, agregados por países e não há detalhe sobre as características sócio-economicas por tipo de visto. Além desta fonte de dados, os Censos americano e o American Community Survey (ACS) registram dados demográficos sobre as populações imigrantes. A União Européia[7] por outro lado, publica dados agregados sobre imigrantes. Por fim, o Ministério da Justiça do Japão[8] publica dados agregados sobre o número de indivíduos que entram e saem do país. Dados referentes aos imigrantes brasileiros incluem somente algumas variáveis demográficas.

Por todas estas razões, as bases de dados oficiais são precárias. No entanto, elas são as únicas fontes existentes e devem ser utilizadas com discrição. O DigaaiDATAHUB e o DigaaiDATAVERSE são ferramentas do DigaaiWiki que põem a disposição dos seus colaboradores e usuários, dados numéricos ou textuais existentes sobre a migração brasileira no mundo. Cada sessão contem a base de dados referente aos tópicos discutidos nela.


  • População Brasileira na Califórnia por Condado - Censo 2000 [9]
  • População Brasileira na Califórnia - Dados Demográficos - ACS 2005 - 2007 [10]
  • População Brasileira na Califórnia - Emprego & Trabalho - ACS 2005 - 2007 [11]
  • População Brasileira na Califórnia - Dados Sócio-economicos - ACS 2005 - 2007 [12]


Para mais informações, dados, mapas e bibliografia referentes a diáspora brasileira, click nos links abaixo:

DigaaiDATAHUB Screen Shot digaaidataverse.png